Nem heroico, tampouco tradicional: seja um líder versátil e evolutivo

01 de abril de 2019

Nem heroico, tampouco tradicional: seja um líder versátil e evolutivo

Liderança versátil e evolutiva é a resposta que você precisa para se tornar um líder mais efetivo e realizado. É uma abordagem para sair na frente, direcionando você, sua equipe e organização para fazer frente à dinâmica das transformações que vivemos.

Abandone os padrões antigos de liderança, baseados no líder heroico e do sacrifício, evoluindo para novos paradigmas, que permitem lidar com maior complexidade e ambiguidade nas relações e nos negócios. Adote paradigmas que representam um avanço em termos de responsabilidade e impacto de sua atuação frente aos seus objetivos, a terceiros e a sociedade. Este enfoque é a síntese de um conjunto de abordagens baseadas em estudos da:

  • Neurociência;
  • Psicologia Cognitiva;
  • Economia Comportamental.

Ele permite que empreendedores, profissionais liberais e executivos gerenciem e transformem constantemente seus negócios, unidades, departamentos e/ou projetos no mundo VUCA(sigla em inglês para volatilidade, incerteza, ambiguidade e velocidade).

O que é VUCA?

Muito diferentemente do passado recente, onde líderes heroicos eram ressaltados, o mundo VUCA não perdoa profissionais, por mais determinados e brilhantes que sejam, que fiquem circunscritos a “suas verdades” e “suas vitórias”. A ambiguidade e a volatilidade requerem lógicas e estratégias que vão além da sobrevalorização da perspectiva ou expertise individual, demandando maior interdependência e novas sínteses da diversidade.

Com a mudança como uma das únicas constantes, o líder efetivo é aquele capaz de adaptar seu estilo às circunstâncias e à diversidade das pessoas, evoluindo em seus próprios padrões de pensamento e lógicas de ação. Um líder que reinventa a si mesmo com velocidade e, “convida, cocria e experimenta” novas soluções, interações e ecossistemas.

Afinal, os desafios que enfrentamos são cada vez mais adaptativos, ou seja, suas soluções vão muito além do expertise técnico, de verdades de uma única pessoa e organização, bem como de modelos já estabelecidos. Por isso, a versatilidade em liderança torna-se fator crítico de sucesso.

E o que significa ser versátil?

Versatilidade é amplitude de movimento sem projetar viés em uma ou outra direção, tal como definida por Rob Kaiser. Na prática, representa a capacidade do profissional de usar as abordagens mais adequadas a cada situação e pessoa, sem se prender a condicionamentos passados ou a estilos preferenciais. O profissional de sucesso no mundo contemporâneo está preparado para ser tanto operacional, se a situação assim o exigir, como estratégico, se novos rumos forem demandados.

Ou seja, deve tanto direcionar a sua equipe como empoderá-la. Isto é, precisa ampliar sua capacidade cognitiva para lidar com maior complexidade, mas também aprender rapidamente e constantemente as chamadas soft skills. As soluções advindas de pensamentos binários cedem espaço para atuações dentro de novas sínteses, capazes de aproveitar as vantagens de cada lado, recombinando-as.

Para ampliar a sua versatilidade, o profissional precisa ser capaz de evoluir para estágios de liderança mais desenvolvidos, tal como definidos pela teoria construtivista-desenvolvimentista de Robert Kegan (professor de Harvard). Nos estágios mais avançados, o líder atinge tal maturidade que muda constantemente os seus padrões de pensamentos e de comportamento, libertando-se de condicionamentos e crenças limitantes. Em outras palavras, mudar deixa ser “dolorido” ou impossível para se tornar parte da dinâmica de crescimento.

Print do vídeo The Further Reaches of Adult Development

Robert Kegan no vídeo “The Further Reaches of Adult Development”. Imagem: YouTube.

A evolução leva a pensamentos mais estratégicos, menos binários

Uma forma de lidar com regras e padrões estabelecidos pela sociedade que não limitam o exercício da individualidade e da interdependência ganha espaço na dinâmica evolutiva. As críticas e os opositores passam a ser vistos como parte do processo. O exercício da empatia torna-se uma prática, a partir do reconhecimento da importância e dos benefícios de várias perspectivas para o desenvolvimento de novas estratégias para problemas “antigos” ou novos. Um mindset de crescimento facilita as relações de trabalho, familiares e com a sociedade.

Em um mundo onde viveremos mais e trabalharemos por mais anos, todos temos que evoluir com amplitude de movimento, seja para aumentar nossa empregabilidade, “utilidade” num sistema tão dinâmico e volátil, seja para ampliar o nosso impacto enquanto ser humano.

Diante da inteligência artificial, não podemos nos dar ao luxo de evoluir só cognitivamente. Afinal, não temos como ganhar esta corrida. Mas, podemos evoluir em termos de consciência (o lado humano), aprendendo a realizar mudanças em nossa mentalidade e comportamento com efetividade.

Enfim, a boa notícia é que há abordagens e ferramentas para contribuir em sua caminhada neste sentido. Ou seja, você pode conhecer o seu grau de versatilidade, identificando os estilos que você “usa demais” e ou “de menos”. E, assim, aprender a não se condicionar por um viés ou outro. Além disso, pode identificar em que estágio de liderança está e, aplicar ferramentas que lhe darão condições e autonomia para evoluir e alcançar maior realização pessoal e profissional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *